Artista faz intervenção contra resposta de Bolsonaro à Covid na embaixada brasileira em Paris

EMbaixada do Brasil em Paris com cartazes de Julio Villani (Foto: Reprodução/Instagram)

 

A embaixada do Brasil em Paris acordou diferente nesta quinta-feira. O artista brasileiro radicado na capital francesa, Julio Villani, fez uma intervenção na porta do local, uma obra a qual ele deu o nome de “Panos Pretos”, fazendo referência ao luto em relação às mortes pela Covid-19 no Brasil. 

  •  

saiba mais

  • Famosos repercutem demissão de Regina Duarte da Secretaria de Cultura
  • Filha de Boris Johnson compra tiara de luxo na quarentena como ato de “auto-cuidado”
  • Loja reabre na China com mais de R$14 milhões em vendas em apenas um dia

No Instagram, o artista postou imagens da intervenção que o próprio chamou de “pano preto na janela da Embaixada do Brasil em Paris”. Com crucifixos vermelhos e a frase “e daí” estampados, um dos cartazes fazia alusão à resposta que o presidente deu há algumas semanas, quando foi questionado sobre o fato de o Brasil ter ultrapassado o número de casos da China. 

EMbaixada do Brasil em Paris com cartazes de Julio Villani (Foto: Reprodução/Instagram)

 

No total foram pendurados 7 banners. Um deles dizia  “Um outro Brasil é possível” e um outro tinha um arma apontada para as palavras “dignidade”, “justiça”, “respeito”, “memória” e “integridade”. O cartaz que representa a bandeira do Brasil levava a frase “caos e obscurantismo” no lugar de “ordem e progresso”. 

EMbaixada do Brasil em Paris com cartazes de Julio Villani (Foto: Reprodução/Instagram)

 

EMbaixada do Brasil em Paris com cartazes de Julio Villani (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Nascido em Marília, interior de São Paulo, Júlio Villani vive desde os 26 anos de idade na capital francesa  onde estudou na Escola Nacional de Belas Artes. Em seu perfil, o artista publicou também vídeo em que mostra o momento que pendurou as bandeiras.