Temer espera sofrer menos ataques ao insinuar que não será candidato

O presidente Michel Temer está convencido de que sofrerá menos ataques ao insinuar estar fora das eleições deste ano. Conversas com o PSDB, em especial com o ex-governador paulista Geraldo Alckmin, vão nesse sentido. Agindo assim, Temer contraria sugestões de dois de seus principais conselheiros: o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, e o marqueteiro Elsinho Mouco. Eles acham que é cedo para desistir de uma pré-candidatura.

Sobre o inquérito que apura o pagamento de propina em troca do decreto dos Portos, o presidente acompanha com preocupação o que considera avanço excessivo da Polícia Federal, da Procuradoria-Geral da República e do relator do caso no Supremo Tribunal Federal, o ministro Luiz Roberto Borroso.

A interlocutores, Temer já havia apontado o distanciamento da procuradora-geral Raquel Dodge e, agora, assustou o presidente a informação de que procuradores aguardam o fim do seu mandato para pedir medidas coercitivas contra ele.

>> Mais notas na coluna EXPRESSO

O presidente Michel Temer  (Foto: Leonardo Benassatto/  REUTERS)